domingo, 28 de agosto de 2016

Local da futura nova rotunda, Dorna

Uma rotunda p`ra mim.
 Uma rotunda p´ra ti
Olé Olá
E a Guarda sorri.
Olé Olá
Vai a concurso a obra da nova rotunda na Dorna.
Preço base 357 mil Euros.
A Comunicação Social não nos informa se na obra a concurso já está incluída a ornamentação. 

sábado, 27 de agosto de 2016

“O triste separador central”

“Vou fazer obra quer as pessoas queiram quer não queiram”
Reparem neste triste separador central é preciso dar-lhe alegria e é o que iremos fazer.
Não sabemos como nem com quê.
Talvez com flores.
Talvez com o produto de novos simpósios.
Que bem ficavam os monólitos semeados nos canteiros e as telas pendurados nos postes de iluminação.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Portugal em notícias – O Poste e o muro

Inovação, estética, cooperação, baixo custo, poupança.
É o que se pode dizer desta belíssima obra

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Desleixo: Tampas de caixas técnicas

As tampas de caixas técnicas danificadas são uma praga na Guarda
Estas duas, uma da EDP e outra do CCT, encontram-se no passeio da Rua Francisco dos Prazeres, lado do Bonfim

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Propaganda

A toda a parte chega a propaganda
Está nas ruas e até no mercado
Mostram as festas e inaugurações
E vão desaparecendo as ilusões

É o senhor da propaganda toda
Horas e horas de coisas banais
Colocam tudo o que o cabeça manda
Não deixa nada para o demais

É a FIT e também a Mão
É o Carnaval e o Cristal
A Feira Farta e o Sunset
E até o triste separador
Não escapa a este furor.

É a propaganda, é a propaganda
É a propaganda e não fica nada

domingo, 21 de agosto de 2016

P. Passos Coelho: O que foi que ele disse?

Pedro Passos Coelho no seu longo discurso de verão na Quarteira, diz a determinada altura:
“Nós levamos a sério a política. Nós levamos a sério o país. Nós levamos a sério as pessoas. E é porque nos preocupamos com elas e com o seu futuro que faremos o que é difícil, que faremos o que é preciso, e esperamos que o que seja preciso e o que é difícil seja menos do que aquilo que nós podemos fazer, porque podemos fazer mais do que aquilo que é difícil, podemos também fazer aquilo que é necessário para que Portugal possa ser, como a Espanha tem vindo a mostrar, como a Irlanda mostrou também, um país em que no futuro todos querem apostar.”
Foi ele que disse.
De: Opinião – Jornal Público
Ó Passos, escreve os discursos! João Miguel Tavares, 16/08/2016
Ler em: https://www.publico.pt/politica/noticia/o-passos-escreve-os-discursos-1741411
Entenderam? Eu também. Não
E disse ainda: é preciso “Levar Portugal a sério” e a mim (PPC) também.