quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

PS do Distrito: Anda tudo incomodado

Mário Jorge Branquinho, Dirigente distrital socialista e também presidente da Assembleia Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela
 «Há alguns responsáveis pela grande derrocada na Guarda que agora se vão por em bicos de pés e isso é lamentável».
«Incomoda-nos constatar que a concelhia da Guarda não faz oposição»
Aos da Guarda incomoda muito mais que gente que queria ser de Viseu e que nunca pôs os pés na Guarda venha agora armar-se em justiceiro.
Aos de Seia e Fornos não incomodou que Amaro criasse a Comunidade Intermunicipal da Serra da Estrela, com Gouveia, Seia e Fornos e tivesse sempre o apoio dos políticos de Seia e de Fornos e a sede e a presidência fossem de Gouveia.
Aos da Guarda e aos de Gouveia, também incomoda, que em 12 anos de poder de Amaro em Gouveia e agora com Tadeu e sendo um concelho socialista, não tivessem feito nada para o recuperar, não sendo conhecidas críticas sobre a gestão praticada em Gouveia.
Como Presidente da Assembleia Intermunicipal não se opôs à primeira nomeação de duas pessoas ligadas ao PSD para Secretários Executivos
Também nunca se ouviu desmentir as afirmações de Amaro, quando disse que não foi presidente da Comunidade Intermunicipal porque não quis e preferiu ter a sede da dita.
Nesta luta para posicionamento da escolha de Deputados parece que vale tudo para aniquilar adversários, até mudar de apoios se for necessário.

Direita Civilizada

Passos Coelho:” Ideias do Syriza são contos de crianças”. É verdade e o “Ogrr, Ogro ou Ogre” também está na Alemanha.
Passos Coelho: IEFP vai entregar os desempregados inscritos no Instituto às futuras agências a criar pelo sector privado. Será que assim acaba o desemprego ou é um novo folgo para os “Call Center”.
Paula Teixeira da Cruz: “Quando falo ao telefone é como se falasse para um gravador”. A admissão clara de que em Portugal 10 milhões de Portugueses são escutados pela justiça.
O Ex-Primeiro-Ministro Grego recusou-se a cumprimentar o novo Primeiro-Ministro na tomada de posse.
O Ex-Primeiro-Ministro Grego enviou um Assessor para transmitir os dossiês da governação Grega. O actual Primeiro-Ministro pagou na mesma moeda, mandou um seu Assessor
(Foi Simbólico e talvez dirigido, o primeiro acto oficial do Primeiro-Ministro Grego: Homenagear 200 elementos da resistência Grega fuzilados pelos nazis na II Guerra Mundial) 

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Contador: A nova profissão

Contador indo-português do acervo da Caixa Geral de Depósitos
O Contador é um móvel destinado a servir a actividade de contar. Consequentemente, apresenta muitas gavetinhas, que serviam para guardar dinheiro, valores ou documentos comprovativos de receita e despesa, notas de dívida e outros documentos de contas.
Também podendo ser:
Empregado de juízo que tem a seu cargo as contas das custas e salários dos processos.
Aparelho para verificar o consumo da água, do gás, da electricidade, etc.
Pessoa encarregada de contar ou calcular o número de pessoas que entram ou participam em diversas actividades
Na Guarda é uma profissão que dá emprego a muita gente, não é a fazer móveis contadores, é mesmo contador para contar.
Em todos os eventos há um numeroso grupo de pessoas que se dedica a contar quem entra e sai e assim conseguem chegar aos espantosos números que são revelados.
Por isso nós acreditamos no número de participantes, mesmo dizendo que estão 400 pessoas num sítio onde só cabem 40 e quando um contador não se engana e coloca o número aproximado, aqui-del-rei que não sabe contar e o melhor é substitui-lo

Pastelaria Madrilena


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Guia do Investidor: "Guarda - 7 boas razões para investir”

A ACG - Associação Comercial da Guarda antecipou-se à Câmara Municipal e apresentou já o seu Manual para o Investidor "Guarda - 7 boas razões para investir e tem o Objectivo de "aumentar a empregabilidade e o poder de compra e fixar pessoas neste território do interior do país
As sete razões para investir:
1 - A "posição geoestratégica privilegiada" em termos de localização, acessibilidades e transportes
2 - A qualidade e disponibilidade de espaço (infraestruturas e zonas de acolhimento empresarial)
3 - A disponibilidade, qualificação e competitividade da força de trabalho.
4 - A existência de centros de saber (universidades e centros de investigação/tecnológicos)
5 - O potencial e a dinâmica empresarial e empreendedora.
6 - O comprometimento das entidades de apoio
7 - A qualidade de vida, cultura e lazer num local único e privilegiado
A ACG imprimiu 3.000 exemplares, para divulgação através das entidades públicas, empresariais, empresas e instituições, que também será disponibilizado “online

Redação: A PT pública e a PT privada

"Portugal Telecom Lisboa".
 Licenciado sob CC BY-SA 3.0, via Wikimedia Commons - http://commons.wikimedia.org/wiki/File:Portugal_Telecom_Lisboa
.jpg#mediaviewer/File:Portugal_Telecom_Lisboa.jpg
Como todos bem sabemos a PT foi durante muito tempo uma empresa pública mal gerida, ninho de cunhas, onde os políticos tinham lugar cativo.
Toda a expansão se deu à custa dos impostos do Portugueses, era uma empresa líder porque era pública, as admissões eram por cunha e nada se fazia sem que os políticos dessem o aval.
E assim foi andando a consumir rios de dinheiro e com níveis tecnológicos obsoletos.
Eis que aparece uma decisão Europeia que obrigou à sua privatização e acabar com o “voto de veto” e aí sim apareceu a verdadeira PT.
Privatizada deu-se o grande salto: Desenvolveu-se, expandiu-se, distribuiu dinheiro a rodos pelos acionistas e pelos gestores, investia em bancos e congéneres.
Vivia tudo feliz da vida com o sucesso da PT privatizada.
E aconteceu o inesperado, de tão bem gerida que era, ficou sem dinheiro, sem gestores, foi colocada no mercado quase a preço de saldo, e foi parar às mãos da especulação financeira e agora toda a gente treme ao tentar adivinhar o futuro: a PT vai desaparecer e Portugal vai ficar a perder e muito.
O Governo, como é seu hábito, vai à casa de banho, faz o serviço e lava as mãos, ficando purificado, porque nos assuntos privados não se mete.
Fim da redação, mas mão do problema

domingo, 25 de janeiro de 2015

Museu da Guarda

Foto: Uma sala do Museu da Guarda
Se querem ver como um museu está morto na Internet procure as páginas do Museu da Guarda.
Não há páginas para consultar, a passagem de nacional para regional ainda não se fez nem e não nos informam quando poderão as páginas estar disponíveis.
mguarda.drcc.pt/
(Este filme já passou também na Região de Turismo do Centro, que andaram mais de um ano para construir a página da Serra da Estrela)

O incómodo dos Socialistas da Guarda

Alguns órgãos de comunicação social noticiaram que alguns socialistas do Concelho da Guarda ficaram incomodados com a Ceia realizada em Seia, organizada pelo PS Distrital e que teve a presença do Secretário-geral António Costa.
Não se percebe muito bem este incómodo, porque deste há muito tempo que o líder Distrital abandonou a Guarda e os militantes do Concelho Guarda estão a deixar morrer o Partido, fazendo muito pouco para o revitalizar.
Gostaria de ver o incómodo transformado em vitalidade, neste ano de eleições. 

sábado, 24 de janeiro de 2015

Telheiro de Acesso ao antigo Restaurante Telheiro

Está quase a desabar o telheiro de acesso ao antigo restaurante “Telheiro" que ultimamente era bar karaok.
Não sei se as obras que se fizeram na zona, Rotunda da Luz, contribuíram para o mau estado dos pilares e vigas de madeira.
Vamos esperar que se desabar não esteja ninguém por lá.

Penhas Douradas: Nova Aldeia de Montanha

Penhas Douradas e lagoa do Vale do Rossim
Como se sabe a Câmara da Covilhã inventou a primeira Aldeia de Montanha nas Penhas da Saúde, Serra da Estrela e lá está para ser admirada aquela barbaridade serrana.
A Câmara de Manteigas quer agora recuperar mais um projecto megalómano para as Penhas Douradas, Serra da Estrela.
O projecto engloba a criação de uma Aldeia de Montanha, com vertente turística, turismo de natureza, desporto e aventura.
Estão também incluídos um teleférico entre Manteigas e as Penhas Douradas, espaços públicos polivalentes, um centro de treino de alto rendimento, um hotel de 4 estrelas e vários “chaletes”.
Não há nada que não se resolva com três ou quatro dezenas de milhões de euros e como se sabe vão chegar “charters” de milhões de euros da União Europeia qualquer coisa como 21 mil milhões.
Nota – a ASE – Associação Amigos da Serra da Estrela sediada em Manteigas apresentou uma proposta para atrair turistas de montanha:
“Criar um Circuito no Planalto Superior (CPS), com cerca de 50 quilómetros de extensão com o objectivo de atrair visitantes para a Serra da Estrela durante todo o ano, mediante a criação de percursos pedestres a mais de 1.500 metros de altitude”.
“O plano sugere a criação de uma rede «de veredas bem estruturadas e consolidadas que considerem alguns elementos» existentes e de refúgios de montanha para apoio aos utilizadores”.
“O custo de um quilómetro de estrada dá para construir 250 quilómetros de vereda numa zona de montanha”.

Rotunda dos Bombeiros

Rotunda dos Bombeiros de acesso à VICEG

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

A abertura da Sé a turistas e mais um número de propaganda

Sinos da Sé da Guarda, antes do restauro
Ao fim de 3 anos de exercício de mandato de directora da Cultura do Centro, Celeste Amaro, acha estranho que sendo a Diocese a guardiã das chaves do monumento, não tenha nenhum funcionário para manter as portas abertas da Sé para além das horas do serviço religioso. (Informação com base numa notícia da Rádio Altitude de 21 de Janeiro)
Nisto, eu acho estranho muitas coisas:
1 – Acho estranho que a Direcção de Cultura do Centro não resolva o problema com tanta gente que há disponível
2 – Acho estranho que só agora se fale nisto pois a situação já se arrasta há vários anos.
3 – Acho estranho que a comunicação social da Guarda que durante anos criticou a Câmara por não colocar funcionários na Sé, agora se cale
4 – Acho estranho que “O Património” seja gerido dos gabinetes centralizados, quando interessa e queiram descentralizar quando lhes convém.
5 – Acho estranho que a Cultura do Centro não tenha ouvido os possuidores das chaves da Sé quando instalaram aquela coisa do aquecimento nos bancos e que tem originado comentários bem interessantes e que fazem corar muita gente.
6 – Acho estranho que com tantos funcionários públicos a serem preparados para o despedimento, não se encontre nenhum que, com alguma formação, seja capaz de servir de guia na Sé.
7 – Notícia do Rádio Altitude de 22 de Janeiro:
“ A Câmara Municipal da Guarda chegou a entendimento com a Direcção Regional de Cultura do Centro para garantir a abertura contínua, entre as 10h00 e as 18h00 durante todos os dias da semana, da Sé Catedral. Funcionários do Museu da Guarda já asseguravam o serviço de terça-feira a domingo até às 17h00 com intervalo à hora de almoço e agora a autarquia cobre os restantes períodos”.
Mas o vereador da Cultura diz que este modelo de articulação só garantirá a abertura do monumento ao público até final de Março, sendo depois necessário definir alternativas”.
“E, tal como já tinha feito a directora regional de Cultura, Victor Amaral lembra que a catedral está sob a responsabilidade da diocese, entidade que nunca destacou qualquer elemento para este efeito. Caso único na região, como tinha assinalado Celeste Amaro”.

Edifício “Café Mondego”


quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

TGV – Aveiro/Viseu/Vilar Formoso

Painel de azulejos no edifício novo da estação, mostrando o edifício velho
Há novidades na nova linha de Caminho-de-ferro da zona centro. A ligação Aveiro/Vilar Formoso começa a tomar forma e a Guarda vai ficar a perder.
Eis o que diz o jornal on-line “O Sol” Jornal on-line “O Sol”, http://sol.pt/noticia/122446 Amadeu Araújo 21/01/2015, 13:04:45
“A ligação que o Governo negoceia com a UE retoma o projecto de 2009, do troço designado Lote 4A - entre Aveiro e Celorico da Beira, acordado com Espanha. Será em bitola europeia e ligará o noroeste peninsular, através da ligação da Linha do Norte a Salamanca, incluído nas redes transeuropeias. O atravessamento da fronteira a norte de Vilar Formoso possibilita a ligação em pouco mais de 130 km, o que encaixa nos orçamentos previsíveis”.
“O troço terá uma extensão de 110 km, com passagem por Viseu. O custo por quilómetro aponta para 10 milhões de euros e pressupõe 60 quilómetros de via única. Quanto ao financiamento, o valor final está ainda por definir. Um estudo do Grupo de Trabalho Centro e Norte, que reúne as associações empresariais de Portugal, Minho e Centro, aponta para um investimento de 1,9 mil milhões de euros, um valor “incomportável porque equivale ao dinheiro que o país dispõe para o investimento total em ferrovia”, sustenta um responsável político ouvido pelo SOL”.
“Todavia, lembra que o estudo foi feito com base numa via dupla, quando se prevê agora uma via única, capaz de garantir velocidades até 250 km em bitola europeia, a que acresce um ramal de ligação a Viseu, de 5 km, e outro entre Vila Franca das Naves e a Plataforma Logística da Guarda. Essa solução fará Portugal “honrar os compromissos e dividir as verbas disponíveis entre a ligação Aveiro-Salamanca e Sines-Badajoz”, acrescenta”.

Casa do Dr. José de Almeida